Como se forma uma crença

Algumas dessas crenças já fizeram parte de sua vida?


- Dinheiro não dá em árvore!

- Dinheiro escorre pelas mãos!

- Dinheiro é sujo!

- Dinheiro não traz felicidade!

- Dinheiro é questão de sorte!

- Dinheiro não é tão importante!


Se identificou que alguma delas fez parte de sua vida, talvez, toda sua dificuldade financeira, pagar contas, sobrar ou juntar dinheiro, pode estar diretamente ligada a isso.


Mas, como é possível algo tão simples e bobo estar diretamente relacionado ao seu fracasso financeiro?


Pois bem, as crenças são baseadas em nossa aprendizagem ao longo da vida. O que papai, mamãe ou alguma pessoa que considerávamos muito nos ensinaram sem perceber, sem maldade, sem intenção. Pode, também, ter sido por observação e através de nossas experiências.


Essa crença gera um comportamento e, este comportamento, pode ter um resultado positivo ou negativo. Em todas elas, a mente dessa pessoa vai dar um jeito de jogar esse dinheiro para bem longe, mantendo assim, um padrão. Ou seja, se ela acredita que dinheiro escorre pelas mãos, por exemplo, sem perceber o dinheiro some de perto dela.


No resumo, sendo toda crença autorrealizável, resultados e circunstâncias, muitas vezes inexplicáveis, acontecerão para confirmar e evidenciar essa crença, e a partir do momento que ela habita nossa mente, elas direcionarão nossas vidas a partir de então.


Por sorte, temos uma forma rápida e prática de fazer uma reeducação da mente e criar um novo significado para essas crenças. Fazendo elas passarem de negativas ou limitantes, para positivas e impulsionadoras.